Calçado Antiestático para Segurança do Trabalho - Safetline

calçado ocupacional antiestático

Calçado antiestático

O calçado antiestático ou dissipativo, cuja simbologia é A, evita, remove ou reduz a formação de eletricidade estática corporal. 

Fazer uso deste EPI, portanto, é muito importante, porque protege o trabalhador ao evitar centelhas de ignição.

Sendo ainda mais significativo na presença de substâncias e gases inflamáveis.

Em certas áreas de atuação, como indústrias bélicas, petroquímicas e eletrônicas, é imprescindível o uso de calçados antiestáticos.

Assim como é muito importante seu uso em ambientes explosivos de forma geral. 

Tais EPIs também são indicados para o ramo têxtil, postos de gasolina, cabines de pintura, transporte de combustível, abastecimento de caminhões-tanques, entre outros.

ALÉM DA SEGURANÇA

Além de manter a saúde e segurança de seu usuário, o calçado antiestático traz outro importante ROI (Retorno do Investimento) às empresas.

Isso porque ajuda a eliminar problemas relacionados à parte eletrônica em maquinários.

Estudos feitos na Europa indicam que 30% desses problemas se devem à eletricidade estática quando acumulada no corpo do operador ou responsável pela manutenção do equipamento.

Isso porque componentes sensíveis, como microchips e semicondutores, podem ser afetados pela eletricidade estática acumulada no colaborador.

Calçado antiestático safetline
calçado antiestático safetline

OUTROS BENEFÍCIOS

O uso desses EPIs, que evitam prejuízos e incômodos com tempo perdido, perda de conexão em rede, de dados de peças eletrônicas, reinício de um computador ou de um sistema operacional, traz outros importantes benefícios.

Isso porque, com o aumento do rendimento de máquinas e equipamentos protegidos da eletricidade estática, aumenta a satisfação, tanto dos funcionários, quanto do cliente final.

Entre as principais razões que levam companhias a desenvolverem programas de utilização de equipamentos antiestáticos, está justamente a redução de custos, que pode chegar a 1.000% ao ano conforme obra publicada pelo norte-americano Ted Dangelmayer.

Desde a década de 1970, Ted Dengelmayer desenvolve programas de ESD (descarga eletrostática).

Para que se possa verificar a relação de custo-benefício ou ROI da implementação de calçados antiestáticos, é necessário verificar a quantidade de recursos investidos antes e depois.

Em duas unidades da empresa norte-americana de telecomunicações AT&T, por exemplo, obteve-se uma redução de mais de 50% dos recursos utilizados para retrabalho nas peças com problemas.

A queda não foi maior, pois todos os retrabalhos foram considerados, inclusive os não relacionados à eletricidade estática.

E para que seja feita uma implementação de sucesso dos calçados antiestáticos nas empresas, é necessário um sistema abrangente que alcance todo o processo industrial (produção, transporte e armazenamento).

DE ACORDO COM A NORMA

A Safetline produz calçados antiestáticos com uma resistência elétrica média de 50 MΩ (megaohms) conforme os requisitos da norma ABNT NBR ISO 20345 (Equipamento de Proteção Individual – Calçado de Segurança). 

Trata-se de um marco para a confiabilidade dos produtos, tanto que fornece esse tipo de EPI para as empresas mais criteriosas do mercado, entre elas, indústrias bélicas. 

Os modelos antiestáticos da marca recebem um selo de identificação internacional para serem localizados sem a necessidade do teste de resistência elétrica.